Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

It takes two to tango

Porque o que um não quer, dois não fazem.

It takes two to tango

Porque o que um não quer, dois não fazem.

Este blog não ia servir para isto, mas estou mesmo aborrecida....

Este estaminé sem o Garoto é uma merda. Não tenho que fazer e não tenho com quem falar. Pensando bem, não é sem o Garoto que este estaminé é uma merda. Mesmo quando ele cá está e não falamos, é uma merda. Agora, daqui em diante, é uma grande merda... mesmo. O Garoto era amigo... pelo menos, tinha-o enquanto tal. Mas, lá está, cada um com as suas escolhas. Pena que eu é que tenha saudades dele. Vicissitudes...

Bored to Death

Não tenho nada para fazer. E dizem vocês: - Ah, que fixe, só boa vida e tal... Desenganem-se. É uma merda mesmo! Tenho que estar aqui o dia todo e já não encontro nada com que me entreter. Tenho ali um livro mas é um bocado mau não?! Fo*a-se, que isto tira-me do sério.

Os sonhos da Garota

Sonhei que estava no meu casamento, com a pessoa cujo nome não deve ser pronunciado (não me cruxifiquem! Não mando na minha actividade cerebral à noite...) e que tinha que me despachar porque tinha que ir estudar para os exames do CEJ. Mas como estava tudo com vontade de curtir a noite, agarrei nos calhamaços e pus-me a estudar ali mesmo. God.

Veia mal dizente #2 - Aos Fãs do casal de vampiros.

Se fosse mentira a traição da moça lá ao vampirico, que não era coisa difícil de acontecer pois já se sabe como funcionam estas revistas cor-de-rosa, qual era a necessidade dela de emitir um comunicado a pedir desculpa? Ora, ninguém pede desculpa sem ter culpa no cartório e, muito menos, por fotos falsas... 

 

Não tenho nada contra nem a favor, não sou ninguém para julgar. Não acredito em traições. Quando se quer estar com uma pessoa, está-se, e quando se gosta mesmo não há necessidade de trair. Se queremos liberdade para andar aí a fazer o que nos dá na real gana, pois... não nos metemos em relações e pronto. Há sempre alguém que sai magoado... e infelizmente, sei bem como é que isso funciona.

 

Agora, deixem-nos lá a resolver a vida deles e não inventem teorias da conspiração.

Intuição.

Que importância dar à intuição? E quando nos acontece uma coisa e nós sentimos, cá dentro, com uma paz absoluta e muito pouco espaço para dúvidas, que vai correr assim ou assado? Até que ponto é que podemos acreditar? Quando conhecemos alguém ou temos planos para alguma coisa e há uma sensação má, de mau agoiro, de que não vai correr bem... um aperto no coração, até que ponto devemos levar em conta? E o oposto? Quando o nosso íntimo nos sorri e diz "é exactamente isto que procuras... agora espera só um bocado, paciente!", acreditamos? Funciona?

 

Dizem que as mulheres têm um sexto sentido, mas há alturas em que ele se manifesta em situações tão delicadas que não sei até que ponto é que não será apenas a nossa vontade, os nossos desejos. Ainda assim, a ser apenas o nosso "querer", traria esse querer esta sensação de paz? De tranquilidade, certeza, segurança?

 

Confiam nos vossos instintos?!

J.B. dá música #4




"There's no pictures on the wall

There's no rise and there's

No fall, and in the morning,

I'm all right, alone without you.

There's no phones and there's no calls

There's no talking to you at all

And I don't care,

Late at night when it's not you

But when I look out in the rain

I think about the past

I want it again

I think about tha way you feel

Inside, I start losing my mind

I'm losing my mind"

Pág. 1/4