Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

O Manifesto da Garota

"Desabafos resultados de fraquezas", música, politiquices, opiniões gratuitas e posts sem conteúdo. Acima de tudo, vida, muita vida!

O Manifesto da Garota

"Desabafos resultados de fraquezas", música, politiquices, opiniões gratuitas e posts sem conteúdo. Acima de tudo, vida, muita vida!

O conceito relativo de Liberdade.

Este Portugal (des)governado que é nosso é, para todos os efeitos, um país livre. Mas, a cada dia que passa percebo que mais e mais gente restringem a liberdade aos seus corolários - a liberdade de expressão, de associação, de auto-determinação, etc. E isto aflige-me. Aflige-me porque a Liberdade não pode ser só o eu poder escrever neste blog, não pode ser só eu poder falar e discutir as minhas ideias (hmm... posso, até determinado ponto, já se sabe), não pode ser só eu poder sair de casa vestida como entendo. Tem que haver mais na liberdade. E, na minha caepção e conceito, infelizmente, Portugal não é tão livre quanto isso.

 

Pensem comigo. O Papa Bento XVI renunciou e deu-se início ao novo conclave para eleger o seu sucessor. Ontem, por volta das 18.05 os sinos do mundo tocaram anunciando que já se havia feito a escolha. Ontem, às 15 horas estava eu numa manifestação pela defesa do Direito à Contratação Colectiva. A Contratação Colectiva é um direito dos trabalhadores e é essencial na conquista de direitos laborais. 

 

À noite, enquanto se cozinhava o jantar, ouvia-se a TV. Tudo sobre o novo Papa, zero (que eu tenha ouvido) sobre a manifestação. Portugal está a morrer, mas não interessa porque há tudo a dizer sobre esta nova pessoa. Entretanto, preparem-se, vêem aí as eleições na Venezuela e os media controladores vão montar o circo à volta daquilo e esquece-se, mais uma vez, que Portugal está a morrer. 

 

E vou buscar os media, não de forma descabida, como a alguns possa parecer. É que os serviços de informação que temos hoje estão de tal forma condicionados, mastigam de tal forma  a informação, que o Português médio come aquilo tudo por certo. Tudo. E onde está a liberdade quando se formatam cabeças? 

 

Nas escolas, onde está a liberdade quando não se ensina a pensar, a argumentar e quando o objectivo primordial é o debitar de matéria e não a formação de um cidadão com espírito crítico?

 

Onde está a liberdade, quando este Governo me pôs a trabalhar para sobreviver, cortando em tudo, de tal forma, que nem sou livre de gastar uns trocos do meu ordenado em coisas que me dêem prazer?

 

Que liberdade é esta, que só me deixa falar e vestir? Seremos nós mesmo livres?

7 comentários

Comentar post