Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

O Manifesto da Garota

"Desabafos resultados de fraquezas", música, politiquices, opiniões gratuitas e posts sem conteúdo. Acima de tudo, vida, muita vida!

O Manifesto da Garota

"Desabafos resultados de fraquezas", música, politiquices, opiniões gratuitas e posts sem conteúdo. Acima de tudo, vida, muita vida!

O Ribatejo acolheu-me

Preciso de vos escrever e nem sem bem o quê. É Quinta-feira, o Verão tirou férias e estamos a entrar no fim-de-semana de Colete Encarnado. É ver uma Vila Franca em traje de festa, a malta ansiosa pela rua, a areia na Serpa Pinto, os restaurantes a ficarem cheios de marcações e eu a conseguir sacar uma reserva a 24 horas do acontecimento (valha-me o Grande Marx).

O Ribatejo acolheu-me faz este mês quatro anos. Na altura em que me mudei disse para mim mesma que seria temporário. Até orientar as coisas. Não sei o que é que queremos dizer com "orientar as coisas". A vida não se orienta. A vida segue. E ou nos lançamos à vida ou ela passa por nós em velocidade relâmpago e, quando dermos por isso, já lá vai. 

Mas, dizia eu, era temporário. Quatro anos depois sorrio ao constatar que estava tão enganada. Ribatejo é casa. Chegar tarde e a más horas das reuniões tardias que tenho todas as semanas, parar o carro ao fundo da rua e respirar tranquila, enquanto a Lua reflete no Tejo e vejo as luzes de Alhandra e Vila Franca lá em baixo. É a paz e o silêncio da minha rua, e a vizinha bisbilhoteira quando me ouve chegar a casa. É viver no campo, ao lado da cidade. A vida que corre tranquila, devagar. É o calor ribatejano que nos deixa moles, molinhos. É a lezíria. Os mouchões. É o bom dia e boa tarde a toda a gente.

O Ribatejo acolheu-me (e bem, tão bem!). Passou a ser Casa. Trouxe-me amigos novos, família do coração, a minha Pessoa-Casa. O Ribatejo acolheu-me e esta minha sede de Colete é o reflexo disso. Cresceu em mim, no âmago de mim, o Colete Encarnado, a Jaqueta e a meia branca.